quinta-feira, 8 de outubro de 2009

EDUCAÇÃO TEOLÓGICA: REFLETINDO SOBRE O SEU VALOR

Em dias de contrastes tão acentuados, onde a religiosidade se tornou o bolsão de interesses pessoais e partidários, me pergunto o que mais surgirá no contexto evangelical brasileiro como batuta a reger os princípios teológicos dos interesses da igreja?

Penso que isto é um assunto vasto a ser explorado em suas matizes num tempo futuro. Por hora, volto-me especificamente para a Educação Teológica levado a crer que o crescimento evangélico a partir dos anos 80 foi exponencial e fator determinante para que um grande número de candidatos seguisse os passos no preparo para o ministério. A pergunta a suscitar neste momento plus-moderno é que tipo de Educação Ministerial a Igreja deseja para a década que se seguirá?

Antes de pontuar as respostas biblicamente, é importante lembrar que a Educação Teológica possui uma amplitude inigualável na vida dos que engajam no ministério. Cabe ressaltar o momento, que tem direcionado a educação teológica a uma réplica da educação secular, combatida tanto por Paulo Freire, e que ganha força nos meios Acadêmicos de Teologia. Traz a proposta da pedagogia de transmissão de conteúdo, de reflexão sem hermenêutica, da retórica sem ética-religiosa, de reduto da descontextualização e de alvo de mercado. Anula o que Jacques Delors desenvolveu e a UNESCO chancelou como os pilares da educação: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser.

Educação teológica tem a ver com a pedagogia do ser. Sua tarefa é trazer à tona os recursos da Palavra de Deus e preparar o educando a estar apto no enfrentamento do mundo, da mentalidade humanista, das inverdades, da ficção religiosa e de tudo que alia contrário a "Lex Dei".

A primeira carta que Paulo escreve a Timóteo, retrata os verdadeiros princípios da preparação teológica. Ela não tem preocupação com o crescimento gráfico (tentação dos dias atuais), mas nítida preocupação em moldar a vida prática do seminarista na jornada pastoral.

Se por um lado,para muitos educadores a alavanca educacional do momento é o marketing, projeção futurística da irrealidade da equipação e do avanço numérico das igrejas, para Paulo sempre foi a projeção da realidadde do agora - "modus faciendi" em prol do "modus vivendi" como didáticas da salvação e da vida de integridade com Deus . O verbo "Mανθάνω"(mantháno), empregado dezesseis vezes em suas cartas,rege muito bem isto - aprendizado prático no dia-a-dia, do comportamento e atitudes próprias do vocacionado.

Nisto, a Igreja espera que a Educação Teológica cumpra uma função - de ao finalizar o seu programa acadêmico, pessoas estejam qualificadas no saber e saber a Palavra de Deus e na aplicabilidade dela na vida pessoal.

Assim, respondendo a pergunta no início desta reflexão, a Igreja espera para a nova década uma Educação Teológica que produza:

Modelos, verso 16, onde a EDUCAÇÃO TEOLÓGICA TEM A RESPONSABILIDADE DE EQUIPAR O VOCACIONADO PARA O MINISTÉRIO (capítulo 1 verso 13);

Santidade, verso 8, onde a EDUCAÇÃO TEOLÓGICA TEM POR PRIORIDADE CONDUZIR O VOCACIONADO AO ESPIRITUAL (capítulo 2 verso 1);

Irrepreensibilidade, verso 2, onde a EDUCAÇÃO TEOLÓGICA TEM POR FINALIDADE QUALIFICAR A VIDA DO VOCACIONADO (capítulo 3 verso 2);

Bom ministro de Cristo, a fim de que se alimente e alimente a outros da palavra de fé e boa doutrina, verso 6, onde a EDUCAÇÃO TEOLÓGICA TEM POR NECESSIDADE DEMONSTRAR A REALIDADE DO MUNDO AO VOCACIONADO (capítulo 4 verso 1);

Ensinadores e recomendadores da Verdade,verso 2b, onde a EDUCAÇÃO TEOLÓGICA NÃO TEM POR INSTÂNCIA ÚLTIMA A RETENÇÃO DA TEORIA PELO VOCACIONADO, MAS A SUA APLICABILIDADE PRÁTICA NO CONTEXTO (capítulo 5 e 6 versos 1 a 10);

Guardadores do mandato imaculado, irrepreensível, até a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo,verso 14, onde a EDUCAÇÃO TEOLÓGICA TEM POR PRINCÍPIO IMUTÁVEL O ENSINO TEÓRICO-PRÁTICO DAS VERDADES BÍBLICAS AO VOCACIONADO (capítulo 6 versos 11 a 21)

Portanto,nestas perspectivas bíblicas, a Educação teológica não é somente modernização da didático-pedagógica, mas da preservação incondicional de sua tarefa última: 0 saber de Deus, mas também viver nEle.

ERSilva

Nenhum comentário: