domingo, 26 de julho de 2015

ROMANOS: Uma breve síntese de como se encontra a humanidade e como Deus, no seu imenso amor, a resgatou por meio de sua imensa graça. - PARTE 1


Os capítulos 1 e 2 coloca a humanidade, sem exceção, debaixo de condenação eterna. A depravação herdada de Adão não fez exceção em nenhum ser humano - nem a  gentios e a nem judeus. O pecado é um agente corrosivo que não escolhe religião ou nacionalidade, além dele obscurecer aquilo que é patente a todos da criação - que existe um Deus formador de tudo. 

Paulo alerta que esta condição em que se encontra o homem (pecado) e automaticamente exclui Deus de sua coexistência, leva Deus ir acumulando ira para o dia final. Simplesmente, o homem vai depositando, em conta a pagar, para no juízo acertar com Deus. O estado do pecado, na análise paulina, é cada vez mais corrosivo e faz do homem um ser totalmente entregue aos seus desejos e paixões. (Veja o final do capítulo um). 

Porém, antes, logo no início do primeiro capítulo, Paulo irá apresentar o evangelho como o poder de Deus, porque somente nesta condição é que o homem poderá ser conduzido novamente a um estado de restauração diante da presença do Seu Criador.

Os capítulos 3 e 4 irão apresentar para toda a humanidade, que a salvação é somente uma condição de justificação pela fé. Não existe outros atalhos humanísticos, religiosos, políticos, sociológicos e etc que trará o homem à condição de justificação diante de Deus.

Justificar é tornar o homem isento de seus pecados e eliminar a culpa que todos trazem diante de Deus. Então, a justificação não somente perdoa, mas também elimina a culpa (Col. 2:14) como imputa em todos nós a condição de justos diante de Deus. A justiça não é pelo mérito humano, mas pelo que Cristo, em Sua propiciação, fez pela humanidade indistintamente. 

Ao chegar ao capítulo 4, Paulo faz a todos verem que isto é produzido somente pela graça divina. Desta forma, a graça é algo dispensado pelo amor que Deus sempre teve por sua criação sublime (João 3:16). Isto é tão profundo que Paulo em 4:8 comenta: "Bem aventurado é o homem que Deus não imputa pecado". Simplesmente, pelo fato da graça ter alcançado àqueles que se dispuseram a receber o evangelho do poder de Deus e não a religião pagã ( no caso dos gentios), muito menos da religião moralista ( no caso dos judeus). 
Que esta pequena síntese destes 4 primeiros capítulos possa nos ajudar no estudo na carta aos Romanos. Segue....

Nenhum comentário: