quarta-feira, 7 de julho de 2010

O PAI NOSSO - NOSSA RESPONSABILIDADE TAMBÉM

Jesus nos ensinou uma das mais belas orações citada em Mateus 6:9-13. Marco da devoção de todo cristão, apresenta uma síntese de: adoração, confissão, petição, intercessão e ações de graça.

O que me chama atenção são os que chamo de máximas de responsabilidade de Deus inseridas do início ao fim desta oração ( Pai...Perdoa ... teu é o reino... etc) mas que não isenta de responsabilidade o compromisso de minha parte, ainda que não esteja lá claramente.
As verdades elucidativas, escritas neste Pai Nosso de autoria desconhecida, destaca exatamente isto. Não é uma exegese do texto bíblico, mas ressaltos de privação do penitente em cima das máximas divina, que transparece quando a vida não é merecedora das verdades trazidas em cada sentença de súplica.
O Pai Nosso, então, traz as seguintes verdades:


Não posso dizer Pai, se não mostro em minha vida diária que sou Seu filho leal.
Não posso dizer Nosso, se a minha religião não me dá lugar para me aproximar dos outros em suas necessidades.
Não posso dizer Que estás no céus, se todos os meus interesses se centarlizam nas coisas terrestres.
Não posso dizer Venha o Teu reino, se não estou disposto a abandonar a minha soberania e a aceitar o reino divino de justiça.
Não posso dizer Seja feita a Tua vontade, se esta não se cumpre em minha vida, ou se a aceito apenas parcialmente.
Não posso dizer Assim na Terra como no Céu, se não estou disposto a entregar-me completamente desde já ao Seu serviço.
Não posso dizer O pão nosso de cada dia nos dá hoje, se não faço um esforço honesto para obtê-lo, se ignoro as necessidades reais do meu próximo.
Não posso dizer Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores, se abrigo ressentimentos contra os outros.
Não posso dizer mas livra-nos do mal, se não estou preparado para lutar no reino espiritual com a arma da oração.
Não posso dizer Porque Teu é o reino, se não presto ao meu Rei a disciplinada obediência de um fiel vassalo.
Não posso dizer O poder, se sinto receio do que os outros digam ou façam.
Não posso dizer E a glória, se busco, acima de tudo, a minha própria glória.
Não posso dizer Para sempre, se sinto demasiada preocupação com temas e assuntos temporais.
Não posso dizer Amém, se não posso dizer honestamente "Esta será para sempre a minha oração"

Que Deus nos ajude a cada dia compreender profundamente Sua Palavra e executá-la de forma consciente os seus padrões de exigências.

Nenhum comentário: